O lançamento será na sexta-feira, dia 1, no auditório do TJRO

A Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ) lança o banco de dados unificado “Ventos” e o sistema “Eolis” nesta sexta-feira (1), às 10h, no auditório do edifício-sede do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO). O primeiro unifica as informações contidas nas plataformas de gerenciamento de processos e o segundo gera relatórios estatísticos a partir dos dados contidos no banco.

As duas inovações desenvolvidas pelo Setor de Informática de Corregedoria-Geral da Justiça (Sinfor-CGJ) prometem automatizar os números das varas e cartórios, retirando o trabalho manual e possibilitando o monitoramento de metas.

A busca pela celeridade processual foi determinante para o processo de criação. A Corregedoria analisa diariamente gráficos e relatórios extraídos dos sistemas utilizados pelo Poder Judiciário como o Processo Judicial Eletrônico (PJe); o Sistema de Acompanhamento Processual (SAP) e Processo Judicial Digital (Projudi) devido à gama de atribuições estratégicas que possui.

Apesar de todos os sistemas atuarem em pleno vapor, o PJRO não possuía nenhum sistema que integrasse os dados e os entregassem de forma padronizada em um mesmo ambiente, como explica um dos responsáveis pelos projetos, Jacob Rodrigues Nery. “Precisávamos automatizar as rotinas. Queríamos que o próprio usuário lidasse com o sistema e extraísse os dados que ele quisesse”, explicou.

O juiz da 9ª Vara Cível, Rinaldo Forti, disse que os sistemas foram fundamentais para retomar a gerência das unidades, pois em qualquer atividade é necessário avaliar a produtividade para saber se o que foi desenvolvido surtiu resultado. “Até agora estávamos trabalhando no escuro, sem condição de verificar a produtividade e os processos que estavam parados. É surpreendente como em tão pouco tempo, a Corregedoria conseguiu um resultado tão significativo”, elogiou.   

 

Ventos x Eolis

O Eolis trabalha em conjunto com o Ventos, e trata-se do sistema em si. O Ventos é o armazém de dados: Ele pega os dados das bases dos sistemas e os transfere para o banco de dados. Todos as estatísticas são geradas com informações do dia anterior. Na terça, são obtidos os dados de segunda, e assim por diante.

O trabalho foi inspirado em iniciativas utilizadas no Tribunal de Justiça do Mato Grosso (TJMT), mas adaptado para as necessidades do Poder Judiciário de Rondônia.

Constante atualização

Os dois sistemas foram desenvolvidos durante o biênio 2016/2017 da Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ), presidido pelo corregedor-geral Hiram de Souza Marques, com os juízes auxiliares Áureo Virgílio Queiroz, Cristiano Mazzini e Danilo Paccini.

A equipe responsável pelo projeto é formada pelos servidores do Sinfor, Maicon Cesar Cucchi, Jacob Rodrigues Nery, Everton Inocêncio, Renan Barbosa e Ricardo Machado, além de três estagiários.

Assessoria de Comunicação Institucional